Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Construtoras fazem mobilização a favor da reforma da Previdência

Percepção é de que sem avanço da proposta, investimento ficará retraído

Lu Aiko Otta , O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2017 | 13h37

BRASÍLIA – Convencido que sem um sinal de avanço da reforma da Previdência o investimento ficará retraído, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) colocou sua estrutura para pressionar pela aprovação da proposta. As 85 entidades filiadas à entidade passaram o último fim de semana em contato com deputados para pedir a aprovação da proposta.

“Há no campo da infraestrutura uma expectativa dos investidores por esse sinal”, disse o presidente da Comissão de Obras Públicas da CBIC, Carlos Eduardo Lima Jorge. “Eles colocam como condicionante para 2018.”

Ao longo dos próximos dias, a ideia é procurar os indecisos e “ver o que está pegando” e explicar a importância da aprovação, informou o presidente da entidade, José Carlos Martins. “Investimento é confiança”, frisou. 

++ Mesmo se passar, atual reforma da Previdência não é suficiente, dizem economistas

Ele contou ter ouvido de deputados a avaliação que a reforma não será votada este ano. Então, eles preferem não “queimar o filme” defendendo-a. “Mas a reforma é necessária”, insistiu. Martins comentou não ser possível que o governador de São Paulo e agora presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, não coloque a bancada para votar a favor da reforma. Do contrário, o tucano precisará defendê-la na campanha “e não vai ser eleito”.

+ + Alckmin fez com que o PSDB se reencontre com sua tradição, diz Moreira Franco

Uma centena de deputados deverá comparecer à festa de confraternização de fim de ano da entidade oferece nesta semana. Na ocasião, também serão pressionados. "Os que votarem contra não terão direito a espumante", brincou Lima Jorge. 

Mais conteúdo sobre:
reforma previdenciária aposentadoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.