Consulta pública atrasa cronograma de leilão de portos

Mais de 3 mil contribuições foram enviadas ao governo federal durante a consulta pública do primeiro lote de arrendamento portuário, de acordo com o secretário de Desenvolvimento e Planejamento da Secretaria dos Portos, Rogério Menescal. A quantidade inesperada de participantes da sociedade e setores empresarial e industrial provocou um atraso, considerado pequeno pelo governo, na publicação do primeiro edital.

FABIANA MIDHORI, ESPECIAL PARA AE, Agencia Estado

27 de setembro de 2013 | 13h22

"Recebemos 3.102 sugestões e estamos realizando um trabalho paralelo para emitir o ''porque sim ou ''porque não'' a cada contribuição", disse Menescal, que representou a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, durante consulta pública do segundo lote, nesta sexta-feira, 27, em Curitiba (PR).

O governo federal estima que a divulgação do edital será feita em novembro deste ano.

Mais conteúdo sobre:
portosedital

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.