Marcello Casal Jr/Agência Brasil - 30/09/2019
Marcello Casal Jr/Agência Brasil - 30/09/2019

'Dinheiro esquecido': veja como consultar valores a receber no BC

Plataforma foi liberada nesta segunda-feira, 14, para cidadãos pesquisarem se têm valores a receber do BC; confira passo a passo para consultar

Felipe Siqueira, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2022 | 09h15
Atualizado 14 de fevereiro de 2022 | 13h52

O Banco Central anunciou na segunda-feira, 7, que um novo site será disponibilizado para consultar “dinheiro esquecido” em contas de bancos. Aqui, explicamos tudo o que você precisa saber para ter acesso ao sistema e descobrir se existe - ou não - algum valor a ser recebido. Nesta segunda-feira, 14, o Banco Central liberou a consulta

Este assunto começou em 24 de janeiro deste ano, quando, pela primeira vez, o BC tentou dar acesso aos cidadãos a este serviço de solicitação de recursos “parados” em contas bancárias. O problema se deu quando este sistema inicial não aguentou a quantidade de acessos e caiu. A instituição precisou retirar o serviço do ar. Por conta disso, a partir desta segunda, entrará em rede a nova página da entidade, feita exclusivamente para este fim - o SRV, Sistema de Valores a Receber, disponível neste link

Será por meio desta janela que o indivíduo terá ciência se conseguirá alguma quantia que havia sido “deixada de lado”. E o que será necessário para acessar este link? Vamos lá: 

Como saber se tenho 'dinheiro esquecido'?

  • O principal é entrar neste link a partir do dia 14 de fevereiro, segunda-feira. Tudo referente a este assunto será feito por meio desta página, não haverá disponibilização do serviço no site principal do Banco Central 
  • Quando a consulta estiver disponível, você irá utilizar seu CPF ou CNPJ para saber se tem algum valor a receber 
  • Se não tiver, acabou a consulta. Se tiver, você receberá uma data em que será possível saber o valor e retirar a quantia 

Como posso sacar meu dinheiro esquecido? 

  • Importante: tudo precisará ser feito com login e senha do Gov.br, domínio do governo federal. Caso você ainda não tenha, dá para fazer isso pelo site, por celulares android ou iOS. O grau necessário de autenticação, que inclui verificação facial ou confirmação de dados por open banking, por exemplo, deverá ser de nível prata ou ouro. Neste material do governo, há uma breve explicação sobre cada um deles. Em resumo, quanto maior o nível de segurança do login, maior a certificação. Depois de criar o login, você precisará retornar à página do BC exclusiva a este serviço para ter acesso à informação. 

Quais são as datas para saque? 

  • Para datas de nascimento ou criação de empresas antes de 1968, o período de agendamento de consulta e resgate será entre 7 e 11 de março, com repescagem no dia 12

    Para quem nasceu ou criou a empresa entre 1968 e 1983, o intervalo é de 14 a 18 de março, com repescagem no dia 19

    Para pessoas nascidas ou empresas criadas após 1983, o agendamento ficará entre 21 e 25 de março, com repescagem no dia 26

  • Caso você tenha dinheiro a receber, depois de feita a solicitação, com o login Gov.br, será necessário retornar ao site na data informada para ter acesso ao valor e solicitar a transferência  

Cuidado com golpes sobre dinheiro esquecido

Alguns pontos importantes devem ser destacados. O primeiro deles é que, caso o dinheiro esteja parado, mas você demore para solicitar uma retirada, ele não vai deixar de ser seu. Quando você solicitar, será depositado. Enquanto isso não for feito, vai ficar parado por lá. 

O segundo é que você deve tomar cuidado para não cair em golpes. O Banco Central listou alguns itens para que as pessoas não acessem links maliciosos. O mais importante é: este é o único link do BC em que os valores serão consultados e, posteriormente, solicitados para transferência

O BC não envia links externos, muito menos entra em contato com as pessoas para tratar de valores ou confirmar dados pessoais. Se você receber um e-mail cujo remetente seja "Banco Central" e tenha "dinheiro esquecido" na linha de assunto, apague imediatamente: é golpe. 

Além disso, ninguém pode entrar em contato com você em nome do BC - nem eles. Por conta disso, como consta na mensagem de alerta do Banco Central: “NUNCA clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, Whatsapp ou Telegram.” E tão importante quanto, não pague absolutamente nada para ter acesso à quantia. Se alguém te pedir isso, é golpe. 

A última ressalva feita pelo BC é a de que, caso você tenha acessado o sistema nos primeiros dias, lá em janeiro, ou, assim que você o fizer quando estiver disponível, “somente quando você solicitar o resgate sem indicar uma chave Pix, a instituição financeira que você escolheu entrará em contato para realizar a transferência”. Mas, mesmo assim, não haverá solicitação de dados pessoais, muito menos da senha - além de ser tudo gratuito. 

Um outro exemplo de golpe que vem sendo realizado recentemente envolve, mais uma vez, o Whatsapp. Criminosos criaram sites falsos que imitam o Registrato, plataforma do Banco Central para checar informações bancárias. Informações visuais e formulários são desenhados para tentar enganar o usuário, simulando o formato da ferramenta oficial da autoridade financeira. Ainda, o endereço do website falso tenta passar credibilidade, abusando da palavra “registrato” e “consulta” para passar falsa credibilidade. Confira dicas para não cair em armadilhas digitais neste link. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.