Consultas ao serviço de crédito crescem na 1ª quinzena de março

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) informou que as consultas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) e ao UseCheque aumentaram na primeira quinzena de março em relação ao mesmo período do ano passado. As consultas em crediário cresceram 6,6%, de 761.212 em 2004 para 811.721 em 2005. Para cheques, o crescimento foi de 3,3%, de 847.052 no ano passado para 875.052 neste ano.Os números do SCPC indicam que houve aumento de 9,9% no recebimento de registros, de 181.972 na primeira quinzena de março de 2004 para 199.929 no mesmo período de 2005, e de 12,2% no número de registros cancelados no período (129.684 no ano passado e 145.534 neste ano). De acordo com o presidente da ACSP, Guilherme Afif Domingos, o aumento de registros nesta época é sazonal e resulta do grande volume de vendas durante o final do ano. No entanto, Afif ressaltou que o número de registros cancelados compensou o crescimento dos registros.Afif criticou a política de elevação de juros praticada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que, segundo ele, apesar de não ter afetado fortemente as vendas do varejo, tem grande repercussão sobre a dívida pública e a decisão de investir. "Já são claros os sinais de desaceleração da taxa de crescimento da produção industrial e das vendas. Não há como justificar a continuidade dessa política de juros", afirmou.De acordo com Afif, o comércio não repassou as altas da Selic para o consumidor devido à forte concorrência e à necessidade de manter as vendas. Segundo ele, o setor continua a oferecer promoções e a facilitar pagamentos. Além disso, ele adicionou que os empréstimos com desconto em folha de pagamento, as linhas de crédito para aposentados e a expansão da oferta de crédito por instituições financeiras contribuíram para atenuar o efeito da alta dos juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.