Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Consultoria internacional preparou empresa

A transformação da Huawei de empresa chinesa em gigante global teve um capítulo decisivo em 1997, quando a companhia decidiu contratar consultoria de multinacionais para adaptar sua gestão e produção aos padrões exigidos pelas grandes operadoras de telecomunicações do mundo. "Nós fizemos um amplo processo de reengenharia para podermos falar com as grandes operadoras na mesma língua", lembra o porta-voz da Huawei, Ross Gan. A IBM Consulting foi escolhida para ajustar o desenvolvimento de produtos e a cadeia de fornecedores. No auge do processo, a empresa chegou a ter 80 engenheiros trabalhando dentro da Huawei, número que hoje é um pouco inferior a 10. A gestão da relação com os clientes ficou a cargo da Accenture, o gerenciamento de recursos humanos e o desenvolvimento de lideranças couberam a HayGroup e Towers Perrin, o controle de qualidade foi entregue à FhG e a transformação organizacional, à Mercer.A PriceWaterHouseCoopers dividiu com a IBM Consulting a responsabilidade de reestruturar a gestão financeira da empresa. Ainda que em intensidade menor, os trabalhos continuam atualmente, com a presença de funcionários das consultorias dentro da Huawei. Outro fator que contribuiu para o rápido crescimento da empresa, segundo Gan, foi a capacidade de apresentar soluções adaptadas às necessidades do cliente. O baixo custo é outro elemento que impulsionou a expansão da Huawei. O fato de a empresa produzir seus próprios chips, por exemplo, reduziu o custo de cada unidade de US$ 200 para US$ 20. Mas Gan ressalta que o preço baixo não explica o sucesso da empresa de maneira isolada. "Essa é um indústria que exige um alto grau de precisão, certeza e confiabilidade. Sem atender a esses requerimentos, é impossível vender, mesmo que o produto saia de graça."A Huawei investe 10% de seu faturamento em pesquisa e desenvolvimento e, em 2008, ficou em primeiro lugar no registro de patentes sob o Sistema Internacional de Patentes, que tem a função de dar proteção internacional às invenções. No total, obteve 1.737 registros. Desde a sua fundação, acumula 35.773 patentes. Mas a profusão de registros não protegeu a Huawei de acusações de cópias de produtos de concorrentes. O caso mais célebre foi o da Cisco, que processou a empresa chinesa em 2003. O caso foi resolvido no ano seguinte por acordo entre as duas companhias, pelo qual a Huawei atendeu a algumas das exigências da Cisco.

Cláudia Trevisan, O Estadao de S.Paulo

09 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.