Consultoria vai definir projeto da usina de Belo Monte

A diretoria da Eletrobrás aprovou ontem a contratação de uma consultoria para definir a modelagem do projeto da usina de Belo Monte, no Pará. De acordo com o presidente da companhia, Cláudio Ávila, a empresa vai gastar cerca de R$ 650 mil com a contratação da consultoria. O trabalho vai definir qual será a participação do setor privado e do setor público no projeto, além do modelo de licitação que será realizado pelo governo. A usina deve ser licitada ainda neste ano. A Belo Monte terá capacidade para gerar 11.180 megawatts a um investimento que deve variar entre US$ 3 bilhões e US$ 6 bilhões. A diferença deve-se à definição de quanto do sistema de transmissão da usina estará no pacote licitado pelo governo. O executivo disse não acreditar que as indefinições do setor elétrico possam tirar o interesse pelo projeto. "É um planejamento de longo prazo, que não sofre efeito de problemas pontuais." A previsão é que a usina comece a gerar energia no início de 2006.Segundo o presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE), ministro Pedro Parente, o projeto de construção da usina de Belo Monte, no Rio Tocantins, deverá ser discutido no próximo dia 19, pela GCE. O projeto deve reforçar o suprimento das regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.