Consumidor abandona produtos mais caros

As altas taxas de desemprego e a queda na renda das famílias brasileiras nestes últimos anos está levando o consumidor a trocar as marcas mais caras por produtos de valor intermediário. Este é o reflexo do estudo "O Consumidor Brasileiro. 10 anos de História", realizado pela Latin Panel/Ibope. O estudo detectou que as marcas líderes de mercado estão perdendo espaço. Numa avaliação expandida de 35 categorias, entre 1998 e 2001, 75% das marcas líderes registraram diminuição da taxa de exclusividade na cesta de compras do consumidor brasileiro.A pesquisa revela que as marcas de preços intermediários ganharam cresceram nos últimos dois anos, especialmente no comparativo do primeiro semestre de 2001 contra o mesmo período de 2002 . Os produtos de preço intermediário representavam 40% em 2001. Um ano depois, eles já representavam 44%.De acordo com a Latin Panel/Ibope, no setor de alimentos, as marcas de valor intermediário ganharam participação de 44% para 50% entre 2000 e 2002. Em bebidas, a porcentagem de consumo de produtos de valor intermediário passou de 43% para 45%; e dentre os produtos de limpeza, o índice foi de 32% para 34%, no mesmo período. A migração de marca puxada pelo critério de preço deu-se em todas as classes sociais. No setor de alimentos, por exemplo, o estudo da LatinPanel mostra que as marcas de valor intermediário aumentaram de 41% para 46% de participação nas compras das classes A e B, entre o primeiro semestre de 2001 e o mesmo período de 2002. Na classe C, o índice avançou de 43% para 48%. Nas classes D e E, o salto foi de 43% para 53%.Dentre as 35 categorias de produtos analisadas pela pesquisa, 52% das marcas líderes perderam participação de mercado pelo critério de valor, entre 1998 e 2002. Segundo a Latin Panel/Ibope, no setor de bebidas, onde foram analisadas cinco categorias, 80% das marcas líderes registram perda de mercado. A segunda maior queda ocorreu no setor de limpeza, em que foram avaliadas 6 categorias. Neste setor, 68% das marcas líderes perderam participação em valor. No setor de alimentos, a queda foi um pouco menor, mas ainda significativa: 48% das marcas líderes dentre as 19 categorias avaliadas perderam valor. A pesquisa da Latin Panel/Ibope tomou como base o levantamento dos hábitos de compra de 6 mil famílias em todo o país, residentes em municípios com mais de 20 mil habitantes, exceto a região Norte, onde o trabalho foi realizado em cidades com mais de 200 mil habitantes. Nos períodos entre 92 e 2001, foi avaliada a taxa de penetração de 28 categorias de produtos, agrupados nos setores de alimentos, bebidas, produtos de limpeza e higiene pessoal. InfidelidadeA infelidade do consumidor domiciliar, no entanto, foi mais implacável com sorvetes, a marca líder teria perdido 23 pontos porcentuais de mercado em volume entre 1998 para 2001, com o avanço de concorrentes e marcas próprias. A diretora-executiva do Latin Panel, Sônia Bueno, enfatiza que a pesquisa mede o consumo domiciliar, portanto o dado vale apenas para potes. Já os três principais fabricantes de massas tradicionais perderam 37% de mercado, o que se deve a novos lançamentos. Em biscoitos, a queda na venda dos grandes foi de 22%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.