Consumidor conseguiu bons negócios

Microempresária de São Paulo gastou R$ 3 mil em eletrodomésticos e artigos para a casa

O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2012 | 02h06

Apesar das notificações do Procon-SP sobre maquiagem de descontos e da repercussão negativa nas redes sociais, consumidores disseram ter feito bons negócios durante o Black Friday Brasil.

Acompanhada da mãe e da filha de 1 ano, a microempresária Gabriela Sampaio gastou mais de R$ 3 mil em uma loja do hipermercado Extra, na zona sul de São Paulo. Na lista de compras, havia de tudo um pouco: frigideira, vasilhas, colchão inflável, chuveiro e duas cafeteiras.

"Pela promoção, a segunda (cafeteira) vinha de brinde. Dei a outra de presente para a minha mãe." Embora não tenha feito comparação de preços, Gabriela elogiou os descontos da loja.

A grande quantidade de clientes no hipermercado também não incomodou Gabriela e a família. "Estava cheio, mas fui bem atendida. Como eu estava com criança de colo, consegui usar o caixa preferencial e fui ajudada por um segurança com as sacolas." A microempresária não conhecia o Black Friday e soube da promoção pela televisão.

A empresária Josefa Fernandes levou uma televisão de 46 polegadas para casa. "Os preços estavam bem razoáveis", afirma Josefa, que participou do Black Friday pela primeira vez. Ela conta que não foi à loja com um interesse específico, mas para levar o que considerasse barato. Apesar do tumulto e da demora no atendimento, a empresária estima ter desembolsado R$ 3 mil. Além da televisão, também levou uma cafeteira e um balde de gelo, entre outros itens.

A aposentada Helena Hara, no entanto, foi à loja com a intenção de comprar uma televisão de 46 polegadas para dar de presente de casamento a uma sobrinha. Ainda dentro do hipermercado, descobriu que outras lojas ofereciam o mesmo produto por valores mais baixos. "Além de mim, outras três pessoas deixaram a televisão para trás."

No entanto, ela não saiu de mãos abanando. Na opinião da aposentada, havia muitos produtos com descontos vantajosos. No carrinho de Helena, entraram lençóis, toalhas, colchão inflável, sabão e frango congelado.

Já as irmãs aposentadas Maria Henriqueta e Zulmira Bernardo tiveram um problema no mesmo supermercado. Elas decidiram antecipar as compras do mês para o Black Friday e aproveitar as reduções de preço. Quando chegaram em casa, perceberam no cupom fiscal que a carne foi cobrada duas vezes. Maria Henriqueta teve de voltar à loja para reclamar. "O erro pode ter sido por causa da confusão. Estava bastante cheio", conta Zulmira. / V.V., ESPECIAL PARA O ESTADO, e TIAGO QUEIROZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.