Consumidor contratará eletricidade on line

Dentro de cinco anos, os consumidores brasileiros poderão negociar o fornecimento de energia elétrica às suas residências com geradoras e distribuidores diretamente pela Internet. Essa é a previsão de Arthur Ramos, diretor de Energia da At Kearney, empresa de consultoria prestadora de serviços para alguns dos agentes do setor de energia do País.Segundo ele, fora do Brasil já é possível efetuar a compra de energia elétrica da mesma maneira que a de um CD ou livro. Ramos explica que os agentes comercializadores, como bancos e as próprias empresas distribuidoras de energia, terão um papel importante dentro do novo mercado, pois o crescimento da concorrência no segmento de pequenos consumidores deverá passar pelas mãos desse setor.O executivo afirmou que, caso suas projeções sejam confirmadas, o preço da energia elétrica pago pelo consumidor residencial deverá sofrer uma redução de custos. "A comercialização praticada hoje tem um custo que varia de 3% a 10% no preço final da energia cobrada do consumidor. O e-commerce possibilita a redução dos custos das vendas e isso deverá ser refletido no preço final."Ramos disse que a comercialização de energia via Internet é um mercado altamente promissor. O importante é que o investidor monte uma estratégia de atuação. No exterior, existem sites que fazem apenas a apresentação institucional das empresas, outros proporcionam certas facilidades, como o pagamento de contas, e há, ainda, aqueles que realizam grandes transações comerciais, como a compra e venda de energia no atacado com contratos bilateriais e a oferta de excedentes produzidos (mercado spot).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.