Consumidor de menor renda compra mais

O faturamento real deste ano é superior em 35,15% ao do primeiro semestre de 1994 e 28,17% maior do que o do primeiro semestre de 1990. As vendas totais cresceram 5,17%, segundo a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV), feita pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FCESP), em parceria com a Agência Estado. O consumo de bens duráveis populares, como fogões de quatro bocas, geladeiras de uma porta, televisores de 14 e 20 polegadas e carros com motor 1.0, começa a ganhar impulso e deve puxar para cima as vendas do comércio e da indústria neste segundo semestre.A festa dos populares está de voltaCom o alongamento do crediário e a redução dos juros e do desemprego, a população de menor renda que ficou fora do mercado desde a crise da Ásia, no fim de 1997, está voltando às compras. Essa nova onda de consumo de produtos populares repete o ocorrido no início do Plano Real, porém numa proporção muito menor. O comércio confirma o incremento das vendas de bens duráveis populares. O diretor de Comercialização de Eletroeletrônicos do Grupo Pão de Açúcar, Marcelo Bazzali, diz que, desde março, a velocidade de venda dos populares está superando o giro dos eletroeletrônicos destinados às camadas com maior renda. Veja a seguir o motivo que explica este crescimento

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.