Consumidor deve ter cuidado ao assinar papéis

Sempre que o consumidor for às compras ou procurar algum tipo de prestação de serviços, é importante que tome alguns cuidados para evitar problemas e garantir seus direitos. É bom prestar bastante atenção em itens como preço, prazo de pagamento, nota fiscal, custos paralelos e cláusulas contratuais pouco claras, entre outros. Caso se esqueça desses detalhes, o consumidor pode assinar contratos com cláusulas com as quais não concorde e que o prejudicarão mais tarde. Um exemplo bem conhecido é o do contrato de financiamento de imóveis do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Pela figura jurídica da alienação fiduciária, que consta do SFI, o mutuário pode perder o imóvel se ficar inadimplente por três meses ou mais.Consumidora assinou sem lerA analista de marketing Daniela Cristine enfrentou problemas por concordar com um serviço sem antes certificar-se dos detalhes. No mês passado, Daniela detectou problemas com seu celular e deixou-o na Assistência Autorizada Cellular Point, em São Paulo, para que fizessem o orçamento. Quando voltou à loja para saber qual seria o preço do reparo, assustou-se com o valor: R$ 1.078,16, sendo que o aparelho novo custa R$ 699,00 de acordo com informações da Motorola.Daniela resolveu, então, desistir do conserto e retirar o aparelho da assistência autorizada. Foi avisada, porém, de que teria de pagar R$ 25,00 pelo orçamento. A cliente alegou desconhecer que o orçamento seria cobrado. Mas a Assistência Autorizada da Motorola entregou à reportagem uma cópia da ordem de serviço que informava claramente a cobrança do orçamento, mesmo se a cliente não aceitasse o serviço.A técnica do Procon Samantha Fernandes diz que é obrigação das empresas comunicar por escrito todas as taxas cobradas. "Os serviços acertados verbalmente podem ser motivo de problemas mais tarde. O consumidor ou o funcionário podem negar que tenham dito qualquer coisa." Mas é dever do cliente ficar atento quando assina qualquer tipo de documentação.Vale lembrar que de todos os documentos de compra ou prestação de serviços, o mais importante é a nota fiscal. Ela não só dificulta a sonegação de impostos, mas também funciona como a arma do consumidor. Sem ela, fica difícil comprovar que o cliente tenha sido vítima de abusos e exija seus direitos. Confira mais informações sobre o assunto no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.