finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Consumidor está mais confiante no presente que no futuro--FGV

O consumidor brasileiro entra natemporada de compras de fim de ano otimista com a situaçãoatual da economia, mas o entusiasmo com as perspectivas futurassofreu um pequeno baque, mostrou pesquisa divulgada nestaterça-feira. O Índice de Confiança do Consumidor da Fundação GetúlioVargas (FGV) subiu 1,3 por cento de outubro para novembro,atingido 114,3 pontos, o maior nível da série históricainiciada em setembro de 2005. "O aumento da confiança foi motivado pelas avaliações maisfavoráveis a respeito da situação atual da economia", afirmou aFGV em comunicado. O Índice da Situação Atual subiu 4,3 por cento sobreoutubro, batendo novo recorde histórico, a 111,3 pontos. Já oÍndice de Expectativas recuou para 115,9 pontos. A sondagem de expectativas do consumidor é realizada combase numa amostra de mais de 2 mil domicílios em sete dasprincipais capitais do país. A coleta de dados para a edição denovembro foi feita entre os dias 1o e 21 deste mês. (Por Renato Andrade)

REUTERS

27 de novembro de 2007 | 08h46

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCONFIANCAFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.