Consumidor faz avaliação para trocar lâmpadas

O consumidor brasileiro que foi pego de surpresa com o racionamento de energia elétrica ainda está desconfiado da eficiência das novas lâmpadas na redução do gasto da conta de luz. Esse é o caso do vendedor João Hilário do Nascimento, de 58 anos, que na semana passada estava em busca de informações sobre a durabilidade e a relação entre o custo e o benefício propiciado pelo produto. Ele conta que gasta atualmente cerca de R$ 70 por mês com energia elétrica. Caso troque seis lâmpadas tradicionais, que custam R$ 1,50 cada, pelas econômicas que saem por cerca de R$ 14,00 a unidade, desembolsaria, de uma só vez, R$ 84,00, mais do que a sua conta mensal. "Não sei até onde essa troca compensa", diz o vendedor. Já o consumidor Paulo Alcântara, de 26 anos, que trabalha como encarregado administrativo, decidiu fazer um teste. Ele tem 15 pontos-de-luz em sua casa, mas, primeiro, vai trocar as lâmpadas tradicionais pelas econômicas em apenas seis pontos, os de consumo maior. Com a troca, ele calcula que vai gastar o equivalente a uma conta mensal de energia. Se, de fato, a durabilidade do produto for a indicada pelo fabricante, de dez a 15 vezes mais que uma lâmpada comum, e se for confirmada a economia de 80% no consumo de luz da casa, conforme indicações especificadas no rótulo, ele pretende fazer o restante das substituições. A dona-de-casa Rosemari Chagas, de 33 anos, afirma que trocou todas as lâmpadas tradicionais pelas econômicas em sua casa e está satisfeita. Segundo ela, o gasto mensal com energia elétrica, que era de R$ 53 por mês, caiu para R$ 23 depois da substituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.