Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Consumidor sofre para cancelar o celular

O consumidor tem encontrado dificuldades em suspender ou cancelar o serviço de telefone celular pós-pago. Segundo a Fundação Procon-SP - órgão de defesa do consumidor vinculado ao Governo do Estado - e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), os usuários de telefone celular estão enfrentando problemas com o serviço de atendimento das operadoras, cobranças indevidas e até sofrendo com a inclusão do nome na lista de devedores do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e no Serasa.O primeiro obstáculo é conseguir falar na central de atendimento das operadoras de telefonia celular, segundo a advogada do Idec, Maria Inês Dolcci. "Estamos recebendo uma série de denúncias de consumidores que passam dias sem conseguir contato com a empresa para suspender o serviço", explica. A advogada do Idec destaca que as operadoras devem respeitar regras mínimas de bom atendimento. "O consumidor contrata um serviço e espera o mínimo de eficiência e cortesia da prestadora de telefonia celular. Atualmente, só tem encontrado obstáculos", define.A assistente de direção do Procon-SP, Sônia Cristina Amaro, aconselha o consumidor a solicitar o cancelamento por telefone e por escrito. "O consumidor deve procurar o serviço de call center da empresa e ainda enviar um pedido de cancelamento por escrito para evitar problemas futuros" , recomenda. Sônia Cristina ressalta que, ao contatar o serviço de atendimento ao cliente, o consumidor deve anotar a data, a hora, o número do protocolo de atendimento e o nome do atendente da empresa que realizou o cancelamento do serviço.Conheça seus direitos no link abaixo e confira as orientações do Procon-SP e do Idec para o cancelamento do celular.

Agencia Estado,

02 de maio de 2001 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.