Consumidor troca de banco sem mudar de agência

Um dos aspectos em que a concentração bancária é mais evidente é nas ruas. Hoje, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal têm 86,3% de todos os postos de atendimento bancário no Brasil. Juntos, operam 17.146 agências dos quase 20 mil pontos de atendimento em funcionamento no País. Há dez anos, essa participação era de 59,3% do total.

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2010 | 00h00

Não é difícil encontrar consumidores que, mesmo sem mudar de agência, mudaram de bancos várias vezes na última década. Um exemplo são os correntistas do antigo Banco América do Sul.

O troca-troca começou em 1998, quando as agências do América do Sul tiveram o nome mudado após o italiano Sudameris assumir o controle do banco. Cinco anos depois, em 2003, foi a vez de o holandês ABN Amro Real comprar o controle do Sudameris no Brasil - as agências tiveram de mudar mais uma vez.

Cinco anos depois, em 2008, mais uma mudança: o espanhol Santander adquiriu a operação brasileira do ABN Amro e todas as placas foram trocadas novamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.