Consumidores estão mais otimistas, revela pesquisa

As expectativas dos consumidores melhoraram em relação ao ano passado, porém, mais da metade dos entrevistados na pesquisa de Sondagem da Fundação Getúlio Vargas (FGV) ainda não pretende aumentar os gastos com bens de alto valor. "O consumidor está se preparando para voltar a consumir, mas está limpando a área antes", disse o economista da FGV, Salomão Quadros. "Primeiro ele quer que estas expectativas otimistas se confirmem, e depois ele quer reduzir as dívidas, antes de consumir".De acordo com a sondagem, 79,31% das famílias entrevistadas em janeiro consideraram que a situação econômica do País é melhor ou igual a de seis meses anteriores. Foi o melhor resultado da sondagem desde o início da pesquisa, que é trimestral, em janeiro do ano passado. Em outubro, 70,24% dos entrevistados achavam que a situação do País estava melhor ou igual do que em abril.A percepção de melhora da situação do País é maior para a faixa de renda mais alta. Na faixa de renda com ganhos mensais menores que R$ 600 por mês é feita a pior avaliação, com 25,43% dos entrevistados dizendo que a situação piorou em relação a julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.