Consumo de aço cresce 27,5% no Rio Grande do Sul

O consumo de aços planos pela indústria do Rio Grande do Sul vai chegar a 1,2 milhão de toneladas este ano. O volume supera o recorde anterior, de 1,091 milhão de toneladas em 2004, e representa um crescimento de 27,5% sobre as 942 mil toneladas de 2006. Para 2008, como a base de 2007 será maior, a previsão é de um salto de 15%, índice acima da expectativa da maioria dos demais segmentos econômicos.Os dados foram apresentados hoje pelo presidente da Associação do Aço do Estado (AARS), José Antônio Fernandes Martins, que se mostro entusiasmado com o desempenho dos fabricantes de máquinas e implementos agrícolas, automóveis, ônibus, carroçarias e pavilhões e prédios de estruturas metálicas, entre outros."Foi um ano excepcional", avaliou o dirigente, referindo-se tanto à superação da crise vivida pela agricultura em 2005 e 2006, quanto à retomada do crescimento econômico do Estado, que ele acredita que se manterá em 2008. "As perspectivas para o próximo ano são tão boas quanto o desempenho deste ano", afirmou.Segundo Martins, o crescimento do consumo do aço é ditado pela volta da demanda por máquinas e implementos agrícolas, pela perspectiva de uma safra de 143 milhões de toneladas, pelo aumento da procura por automóveis, ônibus e caminhões e pela retomada da construção civil combinados com a maior oferta de crédito para aquisição de bens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.