finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Consumo de alimentos e higiene cresce 6% no primeiro semestre

Gastos aumentaram 11%, sobretudo entre a população da classe C

Vera Dantas, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2023 | 00h00

As famílias brasileiras compraram mais alimentos e produtos de higiene pessoal e limpeza no primeiro semestre do ano. O consumo cresceu 6% em volume e os gastos dos domicílios foram 11% maiores na comparação com igual período no ano anterior, revela um estudo do instituto de pesquisa LatinPanel.O estudo tem por base o consumo semanal de 8.200 domicílios no País, abrangendo 70 categorias de produtos. Ele revela também que o consumidor está gastando mais porque vai com mais freqüência ao ponto-de-venda, mas o tíquete médio cresceu apenas 2%, um pouco abaixo da inflação de 3,9% do semestre(IPCA/IBGE).O aumento do consumo foi puxado principalmente pela classe C, composta por famílias com renda mensal entre 4 e 10 salários mínimos. Os domicílios da classe C representam 33% da população e 35% do consumo e aumentaram 3% o volume médio das compras. Eles também tiveram uma elevação de 7% no gasto médio. Já as classes A/B e D/E tiveram uma ampliação de apenas 1% no consumo. O gasto médio das faixas de maior renda da população subiu 6% e na outra ponta, das classes mais pobres aumentou 5%.''''É um fato que o consumo interno vem crescendo'''', diz a coordenadora e analista de pesquisa da LatinPanel, Maria Andrea Ferreira, no mesmo tom do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele afirmou anteontem , numa entrevista ao Estado, que ''''a locomotiva da economia brasileira é o mercado interno.''''A executiva da LatinPanel observa que o consumo vem crescendo mês a mês e não deverá ser atingido pela crise financeira, a não ser que o cenário se agrave muito. ''''O aumento está ligado à estabilidade da economia e melhoria do emprego e da renda.''''O estudo também mostra uma ampliação do número de lares da classe C que passaram a consumir um número maior de categorias. O crescimento foi de 3 pontos porcentuais no primeiro semestre de 2007 ante igual período em 2006. Significa, em média, 435 mil domicílios a mais da classe C indo às compras.Os alimentos foram o destaque na expansão do consumo, com crescimento médio de 3% no volume, seguido por limpeza, com 2%. Cerca de 880 mil lares lares aumentaram a compra de itens de alimentação, o que representou o crescimento de dois pontos porcentuais.Os produtos com maior aumento de volume médio de consumo foram bebida de soja (25%), iogurte (25%), suco pronto (16%), molho de tomate (13%) e sopas instantâneas (9%). ''''São categorias com muitos lançamentos, que tiveram campanhas fortes'''', diz Maria Andrea Ferreira. Entre os itens com queda estão aqueles com maiores reajustes de preços, como pães, com redução de 15% no consumo.A pesquisa também mostrou a lista de produtos que ganharam maior presença nos domicílios compradores. Entre eles estão os iogurtes, requeijão, queijinho petit suisse, creme de leite e molho de tomate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.