Consumo de eletricidade cresce menos que o PIB

O consumo de energia subiu 4,7% em 2007, segundo balanço preliminar divulgado ontem pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O aumento é menor que os 5,4% projetados anteontem pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e pode sinalizar uma mudança de patamar no mercado brasileiro de energia. Pela primeira vez, o crescimento do consumo ficará abaixo do PIB, o que pode indicar maior participação de segmentos não-intensivos em energia na economia brasileira.O balanço do ONS aponta que a carga de energia no País, dado que inclui consumo e perdas de eletricidade, atingiu 49.706 megawatts (MW) médios em 2007 ante 47.473 MW médios em 2006. O comportamento do consumo tem grande influência do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que representa 62% da carga de energia do País e teve crescimento de 5% no ano. Segundo o ONS, a alta foi provocada pela expansão da renda do consumidor.Mesma percepção teve a EPE, que detectou crescimento no segmento comercial - incluindo serviços e turismo. Esse fato, diz o ONS, pode ser uma explicação para o descolamento entre o desempenho do setor de energia e do PIB, que deve crescer 5,12% no ano, segundo o Banco Central. A mudança de metodologia do PIB e o aumento da autoprodução de energia por grandes consumidores também podem explicar a questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.