Consumo de eletricidade cresceu em agosto

O consumo de eletricidade no Brasil cresceu 17,3% em agosto em relação a agosto do ano passado, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Eletrobrás. O aumento já era esperado, pois, conforme assinalam os técnicos da holding estatal, em agosto do ano passado o País estava sob o impacto do programa de racionamento de energia elétrica.A recuperação no consumo, porém, está aquém do previsto "pela racionalização do uso da energia, pelo aumento das tarifas e pela queda da renda das famílias", observam os técnicos oficiais, comentando o desempenho do setor naquele mês.Pelos dados da Eletrobrás, o Brasil consumiu 24.383 GWh de energia elétrica em agosto, contra 20.793 GWh em agosto de 2001. No acumulado do ano, o consumo deste ano ainda está negativo em 3,7%, com um consumo de 190.124 GWh este ano (197.376 GWh em 2001).No acumulado em 12 meses, a queda ainda é maior, registrando retração de 8,4% com um consumo de 276.545 GWh (301.879 GWh em 12 meses até agosto de 2001). Na avaliação de técnicos da Eletrobrás, o consumo até o final do ano deve registrar crescimento de 3,0%, o que é cerca de metade da expectativa do início do ano, logo após o fim do racionamento.O setor industrial é o que está registrando menor ritmo na recuperação do consumo de energia elétrica neste ano, especialmente a indústria da Região Sudeste, responsável por 45% do mercado total do País, conforme os dados da Eletrobrás.As indústrias brasileiras contabilizaram consumo de 10.936 GWh em agosto, com aumento de 15,5% em relação a agosto do ano passado, enquanto a expansão total (incluindo comércio e residências) foi de 17,3%. Na Região Sudeste, o aumento do consumo da indústria ficou em 13,4%, com um consumo de 5.989 GWh, enquanto o comércio expandiu o consumo em 27,3% (2.082 GWh), e as residências gastaram mais 23,4% (3.324 Gwh).No acumulado do ano, o consumo da indústria ainda é negativo em 0,2% (83.917 GWh), e no total acumulado em 12 meses a retração é de 5,0%. Isso mostra que houve uma desaceleração relativa do consumo de energia elétrica pela indústria nos últimos meses, em relação aos demais segmentos (residências e comércio).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.