coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Consumo de eletricidade no setor industrial aumenta em relação a 2005

O consumo de energia elétrica pelo setor industrial registrou aumento de 2,1% no mês de abril em relação a abril de 2005 e decréscimo de 1,7% em relação ao observado em março último. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), estatal responsável pelo planejamento da oferta de energia no País. A indústria responde por cerca de 44% do total nacional e registrou consumo de 12.795 Gwh (gigawatt-hora).A taxa acumulada no ano ficou em 2,9% até abril, ligeiramente abaixo dos 3,0% registrados até março, o que sinaliza a desaceleração no consumo. A nota da EPE observa que em abril deste ano foram registrados dois feriados em dias úteis e a temperatura média ficou abaixo do registrado em igual período do ano passado, o que afeta a demanda de energia elétrica.O consumo total, incluindo consumidores livres e cativos, registrou acréscimo de 3,9% no primeiro quadrimestre de 2006, com aumento de 3,9% frente ao acumulado entre janeiro e abril de 2005. O montante demandado nos quatro primeiros meses do ano ficou em 115.577 GWh, contra 111.256 GWh registrados em igual período de 2005. O crescimento do consumo total no primeiro quadrimestre do ano ficou abaixo dos 4,5% verificados no acumulado entre janeiro e março. O montante de energia elétrica consumido apenas em abril registrou o valor de 29.063 GWh, significando um aumento de apenas 1,9% sobre o mesmo mês do ano anterior e um decréscimo de 1,9% em relação a março último.Dentre os quatro setores analisados pela EPE, o de melhor resultado foi apresentado pelo segmento comercial, ainda assim com o crescimento na casa dos 3%, bem abaixo do verificado nos dois últimos meses: 10,4% e 7,1% em fevereiro e março, respectivamente. O consumo comercial, com um montante de 4.818 GWh, representou 16,6% do fornecimento total em abril. O desempenho desse segmento foi melhor no Nordeste, onde se verificou um aumento de 5,9%. Num segundo patamar de crescimento, apresentaram-se o Centro-Oeste e o Sul, cujas taxas sobre abril de 2005 foram de 3,6% e 3,2%, respectivamente.ResidênciasA classe residencial, que detém 24,8% do mercado com consumo de 7.217 GWh, apresentou elevação de apenas 1,1% contra abril do ano passado e retração de 2,3% frente a março último. Com este resultado, a classe passou a acumular no ano expansão de 3,6%. A expansão mais elevada foi registrada na região Centro-Oeste, com 4,5%, seguida do Nordeste, com aumento de 3,3%. Em abril de 2006, o número de consumidores residenciais atendidos pelos agentes distribuidores alcançou o número de 48,9 milhões, mantendo crescimento na casa dos 3% ante o ano anterior. O aumento líquido de contas residenciais no período de um ano totalizou 1,5 milhão, indicando uma média de 121 mil novas ligações/mês.IndústriasO Norte registrou, entre as regiões, o maior crescimento no consumo industrial no mês de abril, com 7,5%, determinado fundamentalmente pelo desempenho do conjunto das indústrias atendidas pela Eletronorte no Maranhão, com crescimento acima de 15% no mês, e pelos bons resultados do Pólo Industrial de Manaus. O comportamento do consumo industrial de energia elétrica reflete, de uma forma geral, o desempenho da atividade industrial no País, que em abril mostrou desaceleração em seus principais indicadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.