Consumo de energia cresceu 0,4% em abril no País

O consumo de energia elétrica no País atingiu em abril 32,223 mil gigawatts por hora (GWh), o que representou um acréscimo de apenas 0,4% sobre o mesmo mês no ano passado. Com este resultado, o consumo total acumula crescimento de 3,7% no ano e de 5,3% em doze meses encerrados em abril, sempre em relação ao mesmo período de 2007. Os números constam no Boletim Mensal do Mercado de Energia Elétrica realizado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).De acordo com a EPE, o baixo crescimento em abril se deve, principalmente, à retração do consumo na baixa tensão e pode ser explicado por três fatores: em primeiro lugar à seqüência de baixas temperaturas, em segundo ao encurtamento do período de faturamento em várias empresas (número de dias faturados menor) e em terceiro à base de comparação muito elevada em abril de 2007.Apenas a indústria apresentou elevação no consumo de eletricidade no mês de abril deste ano. O setor industrial registrou um acréscimo de 2% sobre o mês de abril de 2007, enquanto o segmento residencial caiu 0,2% e o comercial teve queda de 1,9%, outros segmentos tiveram queda de 1,3%. No acumulado do ano, o segmento industrial tem alta de 4,5%, o residencial de 3% e o comercial, de 2,7%.Em nota enviada à imprensa, a EPE lembrou que, considerando-se a evolução nos três últimos trimestres, o consumo de energia elétrica da classe industrial atendido pela rede elétrica tem crescido "significativamente abaixo da produção industrial". Esse comportamento, segundo a EPE, difere do verificado em anos anteriores e se deve ao fato de que nos últimos trimestres a produção industrial teve seu crescimento puxado pelas indústrias de bens de capital e de bens de consumo duráveis, indústrias estas que são menos intensivas no uso da energia elétrica. Outro fator que tem contribuído para conter o crescimento do consumo industrial de eletricidade atendido pela rede é o aumento da autoprodução e da co-geração, o que já vem ocorrendo sistematicamente há alguns anos.GásNesse contexto, se destaca ainda a crescente penetração do gás natural na matriz energética industrial. Com a recuperação da produção industrial, o consumo de gás na indústria apresenta taxas de crescimento bastante elevadas desde o terceiro trimestre do ano passado. Ainda de acordo com o boletim da EPE, a região Sudeste teve queda de 0,7% e acumula alta de 3,5%. A região Sul teve acréscimo de 2,9% e acumula alta de 5% no ano. No Nordeste a alta foi de 1,3% em abril e 4,1% no ano; região Norte de 3,1% em abril e 3,4% no acumulado do ano. Já a região Centro-Oeste teve queda de 1,9% e alta de 1% no acumulado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.