Consumo de energia no País cresce 4,3% em agosto

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgou nesta terça-feira que o consumo de energia no País registrou crescimento de 4,3% em agosto, ante o mesmo mês em 2005, totalizando 28,977 mil GWh. Segundo a EPE, este foi o maior nível de crescimento observado desde abril.O segmento industrial, que representou 45,8% de toda a energia elétrica consumida no mês, registrou expansão de 3,8%. Na região Sudeste, o consumo das indústrias acumulou o montante de 7,218 mil GWh em agosto, representando 54,4% da energia total fornecida ao setor industrial. O crescimento nesse mês foi de 3,1%. Entre os Estados da região, São Paulo e Espírito Santo aparecem com os crescimentos mais significativos, em torno dos 5%. No Rio de Janeiro, a expansão do consumo se deu no patamar de 3%, tendo como destaque positivo o desempenho do ramo químico.Segundo a EPE, o crescimento no mês de agosto foi influenciado pelos mercados das regiões Norte e Sul, que cresceram 9% e 5%, respectivamente. No Norte, a elevada taxa reflete, em grande parte, o consumo mais baixo contabilizado em agosto de 2005. Já no Sul, observou-se um aumento no nível do consumo no Rio Grande do Sul, que anotou seu melhor resultado mensal do ano, com crescimento próximo dos 8%. A classe comercial, que representa 15,2% da eletricidade demandada no País, com alta acima da média nacional, com taxa de 6,4%. O destaque foi para a região Sudeste que cresceu 7,1% sobre agosto de 2005. Somente o Estado de São Paulo consolidou um crescimento de 9%, onde se observou forte influência de temperaturas mais elevadas no final de julho e início de agosto (período coberto pelo faturamento de agosto) nas cidades de São Paulo, Campinas e Sorocaba. Ainda segundo o boletim da EPE, referente ao mês de agosto, a classe residencial, com uma representação de 23,9% do faturamento nacional, elevou em 3,4% o consumo de energia elétrica ante o mesmo mês do ano passado. A região Sudeste apresentou tendência de alta, com crescimento de 3,7%, enquanto o Centro-Oeste registrou demanda 6,1% superior. Nesta região, sobressaiu-se o Estado do Mato Grosso, com aumento de quase 15%. Segundo a EPE, este aumento se deve em grande parte à ocorrência de temperaturas mais elevadas em julho e agosto. Já no Sudeste, o Espírito Santo obteve um acréscimo de 9% sobre agosto do ano passado, enquanto São Paulo consolidou crescimento na casa dos 5%, na mesma comparação.A EPE informou também que ao final de agosto, o número de unidades consumidoras residenciais atendidas pelos agentes distribuidores alcançou o total de 49,8 milhões, com crescimento de 4,1% ante agosto de 2005. O aumento líquido de contas residenciais no período de um ano totalizou 1,9 milhão, indicando uma média de 163 mil novas ligações por mês. AcumuladoA EPE informou que no balanço acumulado do ano, entre janeiro e agosto, o consumo total de energia no país apresenta crescimento de 3,9%. O segmento comercial e o agregado "outras classes" apresentam crescimentos acima da média nacional, de 4,1% e 4,4%, respectivamente. A classe industrial cresceu 3,8%, e a residencial, 3,6%. No período, o consumo industrial nacional de energia elétrica totalizou o montante de 102,060 mil GWh, representando 44,5% do mercado total. O crescimento verificado contra o mesmo período de 2005 foi de 3,8%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.