Consumo de energia retoma crescimento, diz IBGE

O consumo de energia per capita no Brasil passou de 36,3 GJ (Giga Joule)/habitante em 1992 para 42,6 GJ/hab em 2002, segundo mostra a pesquisa de desenvolvimento sustentável divulgada hoje pelo IBGE. Em 2002, o consumo reiniciou uma trajetória de crescimento após quedas em 2000 (41,9 GJ/hab) e 2001 (41,6 GJ/hab) em relação aos anos anteriores - em 1999 foi de 42,2 GJ/hab. No caso de 2001, a explicação está no racionamento energético. Além disso, o técnico responsável pela análise das informações econômicas da pesquisa, Flávio Bolliger, sublinhou que a estabilização do consumo de energia per capita no País desde 1998 (desde então oscilando em torno de 42 GJ) é resultado do baixo crescimento da oferta interna de energia, que mantinha um crescimento médio de 2% ao ano desde 1997, mas que no período de 1997 a 2000 apresentou aumento em torno de 0,65%. Como o crescimento anual da população manteve-se estável no período (em torno de 1,4% desde 1995), o consumo per capita não apresentou o aumento médio observado nos anos anteriores. Segundo ele, o patamar de consumo de energia é reduzido no País. "Há um subconsumo no Brasil", disse. Segundo ele, a tendência é de crescimento do consumo, mas para que isso ocorra é preciso novos investimentos no setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.