Consumo de etanol no Japão é "salto histórico" para o Brasil

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, acredita que o início do consumo de etanol no Japão, uma das prioridades da agenda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante sua visita ao país asiático a partir de amanhã, poderá representar um "salto histórico" para o setor agrícola brasileiro. Segundo ele, o trabalho de convencimento para que o uso do combustível seja intensificado no Japão ainda vai demorar algum tempo para surtir resultados concretos, mas as perspectivas são promissoras. Como exemplo, informou que o grupo Mitsubishi já demonstrou estar interessado em investir em uma grande unidade de produção de etanol no Brasil quando o consumo do combustível se consolidar no Japão. Segundo a atual legislação japonesa, a mistura do etanol na gasolina não é compulsória e tem um limite máximo de 3%. Rodrigues prevê que se o uso do etanol se tornar obrigatório, mesmo mantendo o nível máximo de 3%, as exportações brasileiras de etanol para o Japão serão relevantes. Na Coréia do Sul, a situação é muito semelhante à do Japão. Ontem, durante a visita do presidente Lula, as autoridades sul-coreanas anunciaram o envio de uma missão técnica ao Brasil para avaliar o etanol brasileiro.

Agencia Estado,

25 Maio 2005 | 14h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.