finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Consumo de gás natural recua 2,17% em setembro

O consumo de gás natural no Brasil registrou a queda de 2,17% em setembro deste ano na comparação com igual período de 2012, divulgou nesta quinta-feira, 24, a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). Mês passado, as vendas do insumo pelas concessionárias somaram 62,48 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d), volume inferior aos 63,87 milhões de m³/d de setembro do ano passado. Esses números refletem a diminuição do consumo pelas indústrias, pelo setor automotivo (gás natural veicular) e para cogeração, além da desaceleração da demanda do segmento termelétrico.

WELLINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

24 de outubro de 2013 | 18h09

De acordo com os dados da Abegás, o segmento industrial atendido pelas distribuidoras consumiu 28,75 milhões de m³/d em setembro deste ano, uma redução de 2,33% em relação aos 29,44 milhões de m³/d demandados em igual mês de 2012. Outro segmento ligado ao industrial que teve queda foi o de cogeração, cujas vendas caíram 11,96%. Exceto o uso do gás para matéria-prima teve crescimento no volume, de 6,93%, passando de 689,3 mil m³/d para 737,1 mil m³/d.

Outro segmento que voltou a decepcionar foi o automotivo, cujas vendas recuaram 4,53% no período. Em contrapartida, os mercados de pequenos volumes tiveram desempenho positivo. O consumo de gás residencial teve ligeiro crescimento de 1,12%, para 1,13 milhão de m³/d. Já a demanda da classe comercial aumentou 2,23%, para 769,8 mil m³/d.

O consumo de gás para a geração de energia elétrica teve um crescimento de 6,88%. Embora tenha expandido, o volume verificado em setembro deste ano é inferior aos volumes registrados nos meses anteriores. Essa desaceleração decorre da melhora do nível dos reservatórios das hidrelétricas, o que diminui a necessidade de geração térmica para o atendimento da demanda por eletricidade.

A menor demanda térmica por gás influenciou o desempenho da classe de consumo denominada como "outros" pela Abegás. Na visão da entidade, o segmento "outros" é basicamente constituído pelas térmicas que não são faturadas pelas distribuidoras, mas que remuneram as concessionárias pelo uso do sistema de distribuição. São os casos da térmica Araucária (PR) e de uma outra usina no Mato Grosso do Sul.

Segundo a Abegás, as vendas de gás na classe "outros" recuaram 55,89% entre setembro de 2012 e igual mês de 2013, passando de 3,10 milhões de m³/d para 1,37 milhão de m³/d.

Tudo o que sabemos sobre:
gás naturalAbegássetembro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.