Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Consumo de máquinas e equipamentos cresceu 17,1%

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgou hoje que o consumo aparente de máquinas - resultado da produção, mais as importações, menos as exportações - apresentou um crescimento de 17,1% no acumulado deste ano, até agosto. Segundo o presidente da entidade, Newton de Mello, isso sinaliza um aumento do investimento no mercado interno, o que também foi confirmado pelo aumento das importações no setor, de 17,9%.Diz ainda o estudo da Abimaq que "o faturamento total do setor continua crescendo, embora a base de comparação seja baixa. O aumento foi de 26,3%, quando o movimento do setor passou de R$ 22,6 bilhões em janeiro / agosto de 2003 para R$ 28,6 bilhões em janeiro / agosto deste ano.Os segmentos que influenciaram positivamente o faturamento foram máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos, máquinas gráficas, equipamentos de hidráulica e pneumática, máquinas e implementos para agricultura e máquinas e equipamentos para madeira.Outro fato interessante que mostra o estudo da entidade é de que o nível de utilização da capacidade instalada pelos fabricantes teve um aumento de 5,8%, ao sair de 76,63% para 81,04%. Em relação ao mercado de trabalho do setor, em 31 de agosto, havia 202.963 trabalhadores, contra 179.542 em agosto de 2003, o que mostra um crescimento de 13%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.