Consumo não toma espaço do investimento, diz Maciel

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse nesta quarta-feira que o consumo das famílias no Brasil, de 2003 a 2012, cresceu em um ritmo próximo de 5% ao ano, considerado por ele como "expressivo" frente ao padrão internacional. "Os brasileiros consomem 50% a mais do que consumiam há quase dez anos."

EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

22 de agosto de 2012 | 17h49

No entanto, segundo ele, o consumo não está tomando o espaço do investimento, pois a participação do investimento no Produto Interno Bruto (PIB) cresceu mais que a do consumo nos últimos anos. "O crescimento da renda permitiu não apenas aumento do consumo, mas também aumento do investimento. Não é ainda a taxa de investimento que gostaríamos de ver, mas estamos no caminho certo", afirmou.

Maciel disse ainda que há espaço potencial para crescimento na relação crédito/PIB e destacou a participação do crédito habitacional e do consignado na economia, que possuem nível de inadimplência mais baixo.

O diretor do BC acrescentou que o sistema de supervisão bancário no Brasil é rigoroso e que o avanço do crédito se dá em ambiente de solidez bancária. Maciel participa de seminário na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara sobre "Políticas públicas de estímulo ao consumo e seus reflexos na economia do Brasil".

Tudo o que sabemos sobre:
BCMacielconsumoinvestimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.