Consumo no RJ em fevereiro é o maior desde o início de 2003

O consumo de bens duráveis na região metropolitana do Rio de Janeiro apresentou em fevereiro o maior patamar desde o início de 2003, segundo informou hoje o instituto Fecomércio-RJ, em sua análise sobre o tema. De acordo com a instituição, a pesquisa Consumo de Bens Duráveis, revelou que 46,58% dos 3.149 moradores da região entrevistados em fevereiro fizeram aquisição de produtos duráveis."O percentual não era tão alto desde janeiro de 2003 (46,69%) e supera o de dezembro do ano passado (44,74%), mês que é considerado o melhor para o comércio, e o de janeiro deste ano (45,53%). Em fevereiro do ano passado, o percentual de entrevistados que tinha comprado bens duráveis foi de 39,20%", detalhou a instituição, em comunicado.Segundo a entidade, a pesquisa mostra ainda que o consumo na localidade vem crescendo desde meados de 2004 e, de acordo com avaliação do instituto, "se mantém mais alto na faixa com renda acima de oito salários mínimos", - sendo que 51,19% dos entrevistados nessa faixa de renda adquiriram bens em fevereiro deste ano, ante 45,82% de fevereiro do ano passado. A entidade destacou ainda que, na faixa com renda de até oito salários mínimos, 43,28% compraram bens em fevereiro, ante 34,46% do mesmo período do ano passado.A análise informou também que o crescimento do consumo vem se dando de forma consistente, segundo os dados da pesquisa. Para a entidade, o aumento no percentual de entrevistados informando elevação de consumo, na faixa com renda mais baixa, revela aumento da renda e do poder de compra desses consumidores.Em fevereiro deste ano, os eletrônicos foram novamente os produtos mais consumidos, sendo citados por 48,19% dos entrevistados que adquiriram bens duráveis. Em seguida, apareceram os eletrodomésticos, com 22,80% e os móveis, com 15,47%.Intenções de compra o futuroO indicador futuro sobre o assunto também faz parte da pesquisa, e merece atenção, na avaliação do instituto: para os próximos seis meses, 33% dos entrevistados disseram que pretendem adquirir bens duráveis. Esse percentual demonstra estabilidade em relação a fevereiro de 2004 (33,57%), mas é inferior ao de janeiro deste ano (36,75%).Para os próximos seis meses, os planos de consumo também se concentram na aquisição de eletrônicos (39,97% dos entrevistados que pretendem adquirir duráveis) e eletrodomésticos (21,72% dos analisados).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.