Consumo nos EUA e exportações são revisados em alta

Embora o cálculo do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) americano do quarto trimestre de 2007 tenha ficado inalterado (expansão de 0,6%), o Departamento do Comércio dos EUA revisou os números de alguns de seus componentes. Os estoques foram liquidados em volumes superiores ao previsto, ao mesmo tempo em que os gastos com consumo e as exportações foram revisados em alta.Os investimentos das empresas, ao contrário, foram revisados em baixa. Já a queda de 25,2% dos investimentos residenciais fixos, o componente do PIB que inclui gastos com imóveis, foi mantido. Esta desaceleração corroeu 1,25 ponto porcentual do PIB americano do quarto trimestre.Os gastos com consumo subiram 2,3% no quarto trimestre, acima da estimativa anterior de aumento de 1,9%, mas abaixo da elevação de 2,8% do terceiro trimestre. Os gastos com consumo, que representam cerca de 70% do PIB, contribuíram com 1,58 ponto porcentual no crescimento do PIB do quarto trimestre.Os gastos com serviços aumentaram 2,8%, cálculo superior à alta de 2,1% avaliada anteriormente. O consumo de bens duráveis aumentou 2%, abaixo da estimativa anterior de alta de 2,3% e do aumento de 4,5% do terceiro trimestre. Os gastos com bens não duráveis subiu 1,2%.Os estoques das empresas caíram em US$ 18,3 bilhões no quarto trimestre, de estimativa anterior de queda de US$ 10,1 bilhões. No terceiro trimestre, os estoques subiram US$ 30,6 bilhões. A queda nos estoques subtraiu 0,89 ponto porcentual do PIB do quarto trimestre.O comércio internacional também deu um impulso superior ao visto antes ao crescimento do quarto trimestre. As exportações subiram 6,5% no quarto trimestre e não 4,8% como havia informado o Departamento do Comércio antes. As importações caíram 1,4% no quarto trimestre, retração inferior à de 1,9% calculada antes. Portanto, o comércio adicionou 1,02 ponto porcentual do PIB, acima da contribuição de 0,90 ponto porcentual no relatório anterior. No terceiro trimestre, as exportações subiram 19,11% e as importações avançaram 4,4%.Os investimentos das empresas cresceram 6% no quarto trimestre, abaixo da avaliação anterior de aumento de 6,9%. Os investimentos do governo federal subiram 0,5% no quarto trimestre. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.