Conta corrente tem déficit recorde e BC piora projeção do ano

O forte crescimento das importaçõeslevou o Brasil a registrar em fevereiro déficit em transaçõescorrentes recorde para o mês. Diante dos resultados recentes, oBanco Central elevou sua estimativa de déficit no ano de 3,5bilhões para 12 bilhões de dólares. Em fevereiro, o déficit em conta corrente foi de 2,09bilhões de dólares, frente a um superávit de 376 milhões dedólares no mesmo período do ano passado. O déficit ficou um pouco abaixo do projetado por analistasouvidos pela Reuters, que apostavam em saldo negativo de 2,2bilhões de dólares, mas superou a estimativa do BC de 1,7bilhão de dólares. Isso se deu "principalmente por força do comportamento docomércio", afirmou a jornalistas o chefe do DepartamentoEconômico do BC, Altamir Lopes. "O crescimento da importaçãofoi mais forte do que a gente esperava." Ele acrescentou que a tendência para os próximos meses é de"suavização" no comportamento das importações e,consequentemente, no resultado sobre as transações correntes. Lopes argumentou que, no primeiro bimestre do ano, houveuma concentração de importação de alguns produtos, comopetróleo. INVESTIMENTOS Em 12 meses até fevereiro, o déficit em transaçõescorrentes corresponde a 0,37 por cento do Produto Interno Bruto(PIB), ante déficit de 0,18 por cento do PIB até janeiro. "Nós estamos financiando esse déficit com investimentoestrangeiro direto e empréstimos de médio e longo prazos",afirmou Lopes. Os investimentos estrangeiros diretos no país somaram 890milhões de dólares em fevereiro, frente a 1,378 bilhão dedólares em igual mês de 2007. O resultado superou a estimativa de 200 milhões de dólaresfeita pelo BC --que elevou sua projeção oficial deinvestimentos no ano todo para 32 bilhões de dólares. Em fevereiro, a taxa de rolagem dos empréstimos privadosficou em 156 por cento. Em março, até o dia 24, a taxa é de 354por cento. Esse desempenho, segundo Lopes, reflete o fato de asempresas exportadoras estarem conseguindo captar recursos "comcerta facilidade", apesar das turbulências externas. CRISE A crise nos mercados internacionais levou o BC a reduzirsua projeção de investimentos estrangeiros em títulosdomésticos de longo prazo e ações para 12 bilhões de dólares,ante estimativa anterior de 26 bilhões de dólares. Lopes afirmou que a redução drástica reflete principalmenteo fato de não estarem ocorrendo IPOs --ofertas iniciais deações-- no mercado de ações brasileiros este ano por causa dasturbulências externas. A estimativa conservadora também ocorre a despeito de, emmarço, até o dia 24, esses investimentos terem somado 6,7bilhões de dólares, frente a 2,766 bilhões de dólares emfevereiro. A projeção do BC para as remessas líquidas de lucros edividendas por empresas instaladas no país foi elevada de 20bilhões para 24 bilhões de dólares. Em fevereiro, essasremessas somaram 1,293 bilhão de dólares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.