Conta corrente tem superávit de US$ 156 milhões, diz BC

A conta corrente do balanço de pagamentos brasileiro registrou um superávit de US$ 156 milhões em janeiro. O resultado, divulgado hoje pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, é melhor que o déficit de US$ 106 milhões de dezembro do ano passado, e também é superior ao déficit de US$ 1,174 bilhão alcançado em janeiro de 2002. A última vez em que a conta corrente tinha registrado um superávit havia sido em setembro do ano passado. Num período de 12 meses até janeiro último, o déficit em conta corrente continua acumulado em US$ 6,427 bilhões (1,41% do PIB), contra uma projeção oficial de US$ 5,581 bilhões (1,27% do PIB). Em dezembro último, o déficit acumulado em 12 meses estava em US$ 7,757 bilhões (1,70% do PIB). O resultado acumulado em 12 meses até janeiro de 2002 era de US$ 22,080 bilhões (4,37% do PIB). Conta de capital A conta de capital e financeiro do balanço de pagamentos teve um déficit em US$ 191 milhões em janeiro. O valor é pior que o superávit de US$ 2,059 bilhões alcançado em dezembro com o ingresso de recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI). Em janeiro de 2002, a conta de capital e financeira tinha registrado um superávit de US$ 1,875 bilhão. Balanço de pagamentos O balanço de pagamentos brasileiro teve um superávit de US$ 713 milhões em janeiro. O resultado é pior que o superávit de US$ 1,414 bilhão alcançado em dezembro último com o ingresso de recursos do FMI. Em janeiro de 2002, o superávit do balanço de pagamentos tinha ficado em US$ 506 milhões. Dívida externaA dívida externa externa brasileira estava em US$ 208,229 bilhões em novembro do ano passado. O valor correspondia a 3,44 vezes o valor das exportações de US$ 60,361 bilhões feitas em todo o ano passado. Em outubro de 2002, a dívida externa estava em US$ 210,379 bilhões, que correspondia a 3,48 vezes o valor das exportações de 2002. A dívida externa de médio e longo prazos caiu em novembro com relação a outubro de US$ 185,910 bilhões para US$ 185,443 bilhões. A dívida de curto prazo caiu, no mesmo período de tempo, de US$ 24,469 bilhões para US$ 22,786 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.