Conta de luz para baixa renda fica mais cara

A Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, esclarece que, a partir de outubro de 2001, os consumidores atendidos pela Eletropaulo que tinham desconto nas suas contas de energia, em função da tarifa denominada Subclasse Residencial Baixa Renda (consumo de até 220 KWh), terão que desembolsar um valor maior para efetuar o pagamento da conta, devido a uma alteração do critério utilizado.A mudança promovida pela concessionária de energia elétrica em questão decorre de decisão judicial que permitiu a reclassificação das unidades consumidoras , observando todos os requisitos abaixo relacionados:- consumo médio dos últimos 12 meses de até 220 KWh:- residência com até 72 metros quadrados autoconstruída - quando ela é erigida pelo proprietário -, construção em mutirão, conjuntos habitacionais, favelas ou cortiços;- ligação mofofásica ou bifásica;- carga instalada de até 6 KW;- renda familiar de até três salários mínimos.Os consumidores que atenderem às condições acima devem ser cadastrados pela empresa a fim de se beneficiarem da tarifa reduzida.Essa alteração causará um desequilíbrio no orçamento de muitos consumidores que antes eram favorecidos pelo desconto na tarifa pois, por exemplo, uma conta de 176KWh ficará 40% mais cara se o consumidor for excluído do escalonamento.A situação desses consumidores é bastante delicada, especialmente na atual crise energética pela qual o país atravessa. Desta forma, o Procon-SP entende que a Eletropaulo deve analisar, caso a caso, o pedido de cadastro dos consumidores, ainda que não preencham todos os requisitos do novo critério. Os consumidores que estiverem com dúvidas ou com dificuldades para contatar a concessionária de energia elétrica poderá procurar um dos postos de atendimento do Procon-SP dentro do Poupatempo Sé, do Poupatempo Santo Amaro ou do Poupatempo Itaquera. Por telefone o número é o 1512.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.