''''Conta do deságio de 60% não fecha''''

O presidente da Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), Renato Alves Vale, afirmou ontem ao ?Estado? que refez os cálculos com base no deságio de mais de 60% bancado pela empreiteira espanhola OHL no leilão de concessão de rodovias federais, e constatou que realmente "a conta não fecha". No leilão realizado em São Paulo, no dia 9 de outubro, a OHL levou cinco dos sete lotes apregoados. No trecho da Fernão Dias, especificamente, a empresa espanhola ofereceu preço de pedágio de R$ 0,997 (deságio de 65,43%), enquanto a CCR fez oferta de R$ 2,249 (deságio de 22,02%). Apesar dessa discrepância de valores, Vale considera importante essa maior participação da OHL no Brasil, pois se trata de empresa "grande, séria, competente". Ele parabeniza também o governo federal por ter realizado o leilão de concessão de rodovias, demonstrando sua preocupação em cuidar da infra-estrutura, "o que é ótimo para o País."Dona de concessões importantes como a AutoBAn, ViaOeste, NovaDutra e RodoNorte, a CCR está empenhada atualmente em participar de leilões da área no México e nos Estados Unidos."O México, por exemplo, destinou US$ 40 bilhões para concessões de rodovias até 2012", comemora Vale.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.