Conta investimento não livra bancos do compulsório

A diretoria do Banco Central definiu hoje que os recursos parados nas contas de investimento estarão sujeitos à cobrança do mesmo compulsório de 45% sobre depósitos à vista e de 8% sobre o adicional. A medida evitará que os bancos usem a conta, que começa em agosto, para fugir do compulsório e que o dinheiro do investidor seja realmente aplicado em investimentos. Pela conta investimento o usuário poderá movimentar os recursos sem pagar a CPMF.A decisão de hoje do BC tem por objetivo tornar a conta investimento apenas como uma passagem de dinheiro e com isso tornar o custo dela o menor possível para os bancos. A expectativa é que as tarifas também sejam baratas. O Banco Central também espera que a conta de investimento aumente a liquidez do mercado secundário de títulos públicos, aquele no qual as negociações de títulos não abrigam o primeiro estágio da emissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.