Contador dobra número de clientes com vídeos

Empresário investiu

O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2012 | 03h12

apenas R$ 10 mil e

tornou-se sensação

na internet com vídeos sobre contabilidade

Há quatro, cinco anos, nenhum aspecto na rotina de Vicente Sevilha levava a supor que, dali a pouco tempo, ele conquistaria o prêmio Estadão PME na categoria Comunicação e Marketing. Nada mais natural, afinal, estratégias de divulgação e posicionamento de marca simplesmente não passavam pela cabeça do empresário, homem de finanças e que há duas décadas administra seu escritório de contabilidade no bairro da Casa Verde, localizado na capital paulista.

A transformação ocorreu quando Sevilha decidiu reservar R$ 10 mil do orçamento mensal do empreendimento para tirar do papel um projeto caseiro de treinamento da equipe.

Uma ideia que ele mesmo concebeu. Com cerca de 100 funcionários na empresa, a intenção do contador era estabelecer um canal para manter o time de funcionários atualizado a respeito das novas regras do setor "que mudavam e continuam mudando em um ritmo difícil para qualquer um acompanhar".

Sevilha bolou pequenas aulas em vídeo sobre contabilidade, passou a publicar esse material no portal da empresa e em um site específico para este tipo de conteúdo na internet. Em seguida, o empreendedor comunicou a novidade a todos os funcionários. Mas o que o empresário talvez não esperasse foi o resultado obtido - extremamente positivo - no escritório e fora dele.

"É difícil de acreditar, mas com os nossos vídeos a empresa mudou de patamar. Os contadores passaram a querer trabalhar na Sevilha Contabilidade. Nosso escritório tornou-se desejado pelos clientes. Passei até a ser procurado pela imprensa para dar entrevistas", explica Vicente. As aulas elaboradas e gravadas pelo empresário com as dicas tinham caído no gosto do internauta.

Dessa forma, não é de se estranhar que em três anos de produção os vídeos registram mais de 1,5 milhão de visualizações no Youtube. "O conteúdo é acessado principalmente por estudantes de contabilidade e profissionais do setor", afirma.

Na esteira da popularidade repentina que foi alcançada, Sevilha diz que agora é reconhecido nas ruas e o escritório comandado por ele dobrou o número de clientes "de 200 e poucos para 400 e poucos".

Prestígio

"Ganhamos prestígio. A gente virou referência no mercado. Temos relatos de que até os funcionários que saem de nosso escritório são mais rapidamente absorvidos por outras empresas", conta o empresário.

Sem revelar números, o empreendedor também comemora o resultado financeiro da empreitada. "Nosso faturamento mudou sensivelmente. Posso dizer que, também por conta dos vídeos, vamos pagar neste ano um salário e meio a mais para cada integrante da nossa equipe", destaca o empresário.

Vicente Sevilha conta que neste momento, para manter a justificada fama virtual, desdobra-se em um ritmo intenso de produção. Nos primeiros anos do projeto, por exemplo, ele publicava um vídeo por dia na web.

Hoje em dia a frequência é menor. Uma aula é publicada a cada dois dias - os boletins têm entre dois e seis minutos de duração e abordam temas como multas trabalhistas, impostos sobre importação, IOF, Imposto de Renda, Dacon e outras siglas que fazem do ramo uma verdadeira sopa de letrinhas para os leigos.

Shopping

O empreendedor, mesmo após tanto sucesso, ainda surpreende-se com o resultado da iniciativa. "Outro dia estava no Burguer King, em um shopping de Curitiba, e um rapaz que estava me olhando por um tempo veio até mim e perguntou: 'você não é o Vicente Sevilha da internet?'

A fama, claro, é sempre que possível dividida com a equipe de trabalho do escritório. "Quando comecei, pensava que o assunto um dia acabaria. Mas estamos nisso há três anos e, acredite, não faltam temas. Já falamos sobre muitas coisas e ainda têm muitas outras para tratar. Esse projeto nasceu para os meus funcionários e deu no que deu", afirma orgulhoso o vencedor do Prêmio Estadão PME.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.