Estadão
Estadão

Contas do governo têm superávit de R$ 28,6 bi em abril, melhor resultado para o mês na história

Superávit do mês retrasado foi maior que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um saldo positivo de R$ 17,3 bilhões, de acordo com a pesquisa Prisma Fiscal do Ministério da Economia.

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2022 | 15h01
Atualizado 14 de junho de 2022 | 17h50

BRASÍLIA - As receitas do governo federal superaram as despesas em R$ 28,6 bilhões em abril, sem contar os gastos com juros, informou nesta terça-feira, 14, a Secretaria do Tesouro Nacional. Trata-se do melhor resultado desde 1997.

O superávit do mês retrasado foi maior que as expectativas do mercado financeiro, cuja maioria apontava um saldo positivo de R$ 17,3 bilhões, de acordo com a pesquisa Prisma Fiscal do Ministério da Economia.

“O governo continua com resultados positivos do lado da arrecadação. Neste saldo, tivemos impacto do aumento de preços, do PIS/Cofins e do IPI bem acima das expectativas e dos bons resultados do governo em concessões e permissões e em exploração de recursos naturais”, explicou  o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, que esperava saldo positivo de R$ 32,8 bilhões no mês.

Agostini, porém, alerta que o cenário de contas públicas em equilíbrio, apesar de ter impacto positivo para a economia, transfere a falsa sensação de que tudo está sob controle. “E na verdade não está, considerando que boa parte da arrecadação é causada pelo aumento de preços.”

O resultado de abril deveria ter sido divulgado no fim de maio, mas o anúncio não aconteceu naquele momento por conta de greve do Tesouro Nacional — suspensa somente na semana passada após indicações de que não haveria reajuste para nenhuma categoria neste ano.

Nos quatro primeiros meses do ano, o resultado primário registrou superávit de R$ 79,263 bilhões, o melhor resultado desde 1997. Em igual período do ano passado, esse mesmo resultado era positivo em R$ 40,863 bilhões. No mesmo período do ano passado, foi registrado resultado positivo de R$ 46,6 bilhões (valor corrigido pela inflação).

Em abril, as receitas tiveram alta real de 8% em relação a igual mês do ano passado. No acumulado do ano, houve  alta de 12,3%.  Já as despesas caíram 0,5% em abril, já descontada a inflação. No acumulado de 2022, a variação foi positiva em 5,4%.

Para o ano de 2022, o governo está autorizado a registrar déficit primário de até R$ 170,5 bilhões, conforme a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Agostini  projeta déficit de R$ 12,3 bilhões para o governo central em 2022 e superávit de R$ 70,6 bilhões no resultado consolidado do setor público. “Apostamos em saldo positivo forte no resultado consolidado principalmente por causa dos Estados e municípios, mesmo que ocorram mudanças na regra do ICMS”. / COM BROADCAST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.