Contas externas do Brasil encerram junho com saldo negativo

As transações correntes, que juntamente com a conta de capitais compõem o balanço de pagamentos do País, registraram no mês de junho um superávit (saldo positivo) de US$ 1,252 bilhão. A conta de capitais apresentou déficit (saldo negativo) de US$ 1,873 bilhão, o que levou o balanço de pagamentos, que é o registro contábil de todas as transações de um país com outros países do mundo, encerrar o mês de junho com saldo negativo de US$ 431 milhões.O saldo das transações correntes veio perto do piso das estimativas de analistas consultados pela Agência Estado, que variavam de superávit de US$ 1,1 bilhão a US$ 2,2 bilhões, e abaixo da mediana das projeções, que ficou em US$ 1,5 bilhão.No acumulado dos primeiros seis meses do ano, as transações correntes do Brasil acumulam saldo positivo de US$ 5,284 bilhões, o maior da série histórica iniciada pelo Banco Central (BC) em 1947. Este montante equivale a 1,43% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o superávit em transações correntes era de US$ 4,413 bilhões, o equivalente a 1,50% do PIB.Detalhamento A balança de serviços, um dos componentes das transações correntes, apresentou um déficit de US$ 1,017 bilhão em junho. O valor é 92% superior ao resultado negativo apresentado no mesmo mês de 2004 (US$ 528 milhões negativos).O BC destacou ainda o superávit recorde na balança comercial do mês de junho, que ficou em US$ 4,030 bilhões, a captação de US$ 1,1 bilhão em bônus da República e o pagamento de US$ 1,7 bilhão de parcelas de empréstimo ao FMI.PerspectivasO chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, disse que o BC espera um superávit em transações correntes de US$ 1,2 bilhão em julho. Altamir disse também que o resultado em transações correntes em junho foi dentro do esperado e reflete o resultado bastante positivo da balança comercial brasileira.

Agencia Estado,

25 de julho de 2005 | 12h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.