Rafael Neddermeyeri/Fotos públicas
Rafael Neddermeyeri/Fotos públicas

Contas externas têm superávit de US$ 798 milhões em março

Estimativa atual do BC é de que o rombo externo de 2018 seja de US$ 23,3 bilhões.

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2018 | 12h02

BRASÍLIA - Após o superávit de US$ 283 milhões em fevereiro, o resultado das transações correntes seguiu positivo em US$ 798 milhões em março deste ano, informou nesta quarta-feira o Banco Central. A instituição projetava para o mês passado superávit em conta de US$ 200 milhões.

O número superou o teto do intervalo das estimativas do Projeções Broadcast, que iam de US$ 600 milhões a superávit de US$ 600 milhões (mediana de zero). A estimativa atual do BC, atualizada em março, é de que o rombo externo de 2018 seja de US$ 23,3 bilhões.

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 5,974 bilhões em março, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 2,776 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 2,577 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou no azul em US$ 1,047 bilhão.

No acumulado do primeiro trimestre de 2018, o rombo nas contas externas soma US$ 3,219 bilhões.

Já nos 12 meses até março deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 8,337 bilhões, o que representa 0,41% do Produto Interno Bruto (PIB).

O chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, destacou que os resultados do balanço de pagamentos em março são similares aos de fevereiro. Já as razões para o superávit menor em março deste ano ante março do ano passado estão ligadas às importações maiores e às despesas com lucros e dividendos.

Conforme os dados do BC, houve superávit em conta corrente de US$ 798 milhões em março, abaixo do US$ 1,386 bilhão de março do ano passado. As importações somaram US$ 41,262 bilhões no último mês ante US$ 13,118 bilhões de março do ano passado. No caso das remessas de lucros e dividendos, elas somaram US$ 2,882 bilhões em março ante US$ 1,874 bilhão em março do ano passado.

Rocha afirmou ainda que o resultado das transações correntes "parece consistente com projeção do BC para 2018". No acumulado do primeiro trimestre, as transações estão deficitárias em US$ 3,219 bilhões. A estimativa atual do BC, atualizada em março, é de que o rombo externo de 2018 seja de US$ 23,3 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
Brasil [América do Sul]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.