finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Contas públicas são 'elo mais fraco' para nota de dívida do Brasil, diz Leos, da Moody's

Os gastos do governo brasileiro continuam sendo o "elo mais fraco" no perfil de classificação de risco do país, alimentando receios sobre um crescimento econômico lento e a enfraquecida confiança de investidores, disse o analista de classificação soberana da Moody's Mauro Leos nesta terça-feira.

REUTERS

30 de setembro de 2014 | 10h41

O Brasil continua sendo um "caso isolado", com métricas de dívida piores em média em comparação aos seus pares, disse Leos em um evento em São Paulo.

Em 9 de setembro, a Moody's alterou a perspectiva de rating soberano do Brasil de "estável" para "negativa", ameaçando rebaixar a nota do país por ver maior risco do crescimento econômico continuar baixo e de piora nas métricas de dívida.

Ao mesmo tempo, a agência de risco reafirmou o rating brasileiro em "Baa2", a segunda menor classificação dentro da faixa considerada como grau de investimento.

(Por Guillermo Parra-Bernal)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROMOODYSBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.