Contra a inflação, darei até remédio amargo, diz Lula

"Este país não vai voltar a ter recessão e o desemprego que teve em 20 anos", garantiu

Leonencio Nossa e Angela Lacerda, da Agência Estado,

30 de maio de 2008 | 14h54

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 30, em Belém, que sempre fará sacrifícios para impedir a volta da inflação."Eu farei qualquer sacrifício, darei até remédio amargo para não permitir que a inflação volte neste País", disse o presidente, no Fórum de Governadores na Amazônia Legal. "Este País não vai voltar a ter recessão e o desemprego que teve em 20 anos", garantiu.   Veja também: Entenda a crise dos alimentos  Entenda os principais índices de inflação  Para segurar inflação, governo vai economizar 0,5% do PIB   Ele voltou a ressaltar o período de sorte que está atravessando, ao se referir à elevação do Brasil para o grau de investimento por duas agências de classificação de risco - Standard & Poor e Fitch - , e a descoberta de um novo reservatório de petróleo na Bacia de Santos. "Tudo isso é sorte, mas se a agente não tivesse trabalhado duro para arrumar a economia e controlar a inflação, não estaríamos nessa situação", afirmou.   Sobre a crise mundial de alimentos, Lula disse que não vê como um problema. "Temos que ver nessa crise uma grande oportunidade para dar um salto de qualidade". Ele voltou a citar a crise nos Estados Unidos e a repercussão na União Européia. "Foram bilhões de dólares que dançaram na ciranda financeira e nós (brasileiros) estamos tranqüilos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.