Contra a inflação, S&P sugere maior esforço fiscal

Um maior esforço fiscal seria bem-vindo para auxiliar a política monetária no combate à inflação, afirmou Lisa Schineller, diretora de ratings soberanos da agência de classificação de risco Standard & Poor?s, a primeira a conceder ao Brasil o grau de investimento.?Seria melhor se tivéssemos uma política mais equilibrada de combate à inflação, com mais ajuda do lado fiscal, o que facilitaria a tarefa?, disse Lisa, referindo-se à necessidade de os gastos do governo pararem de crescer. ?Mas é importante ressaltar que é tarefa do Banco Central manter a inflação dentro da meta.?Segundo Lisa, o problema da inflação no Brasil é mais complexo, porque resulta da alta global de alimentos e petróleo, aliada ao aquecimento da demanda doméstica. ?A inflação é preocupante porque vai aumentar as pressões políticas e afeta mais as populações mais pobres?, disse. ?Esperamos que a inflação suba um pouco mais, mas que depois a atuação do Banco Central faça os preços caírem.? Lisa elogiou a atuação do BC, que se antecipou e começou a elevar os juros cedo, quando a medida ainda era controversa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

21 de junho de 2008 | 10h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.