Contra crise, BCs da Ásia apostam em demanda interna

Os bancos centrais do sudeste da Ásia esperam forte demanda doméstica e aumento do comércio inter-regional para ajudar a reduzir o impacto da provável retração do crescimento global, segundo informação divulgada hoje. Depois da conferência anual dos bancos centrais da Ásia do Sudeste, as autoridades bancárias afirmaram, em grupo, que o crescimento econômico global deve ficar mais fraco este ano devido à crise americana do crédito de segunda linha (subprime). Segundo eles, a este cenário devem ser adicionados prospectos de inflação mais alta. Eles ressaltaram, contudo, que até o momento o impacto da crise financeira americana nas economias asiáticas tem sido limitado. A presidente do banco central das Filipinas, Amanda Tetangco, disse que cerca de 55% dos negócios externos entre os países do sudeste asiático é inter-regional. Segundo os bancos centrais, no sudeste asiático as economias estão adquirindo uma estrutura mais diversificada, "avançando de um sistema baseado em bancos para um sistema mais sofisticado, amparado nos mercados". A expectativa é de que este desenvolvimento continue apesar da turbulência financeira internacional. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.