coluna

Fernanda Camargo: O insustentável custo de investir desconhecendo fatores ambientais

Contrabando de bexiga do ‘peixe da fertilidade’ ameaça a espécie

'Totoaba macdonaldi' vale até US$ 5 mil, por causa da fama de que torna as pessoas mais férteis e bonitas

Walkíria Cassiano, especial para o Estadão,

14 de junho de 2013 | 17h27

SÃO PAULO - O contrabando de bexigas de uma espécie de peixe em extinção alimenta um lucrativo mercado clandestino nos Estados Unidos.

O comércio de bexigas do Totoaba macdonaldi é movido pela crença popular entre chineses de que essa parte das entranhas do pescado favorece a fertilidade e melhora a vitalidade da pele, pelo seu alto teor de colágeno.

O peixe é encontrado em águas rasas na foz do Rio Colorado e também na costa leste do Golfo da Califórnia. Ele foi incluído em 1979 na lista das espécies ameaçadas de extinção, por causa da ação dos cotrabandistas.

Usado na preparação de sopas na China, a bexiga do peixe chega a valer US$ 5 mil a unidade nos EUA, equivalente a R$ 10,7 mil, o dobro do valor no mercado chinês.

A polícia americana flagrou um homem de 34 anos que confessou contrabandear partes de uma espécie em extinção de peixe do México para os Estados Unidos.

Anthony Sanchez Bueno foi pego com 170 bexigas no porto de Calexico, na Califórnia. O valor da mercadoria foi estimado em US$ 400 mil -  R$ 856,8 mil.

As autoridades de Los Angeles apreenderam 529 bexigas desde fevereiro, carga avaliada em US$ 1,24 milhões, algo em torno de R$ 2,7 milhões. A pena de Bueno será definida em setembro. Ele pode pegar até 20 anos de cadeia e pagar multa de US$ 250 mil, o equivalente a R$ 535,5 mil. Com agências internacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
peixefertilidadeextinçãocontrabando

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.