Contratos de boi gordo têm bons ganhos

Mesmo com o embargo canadense à carne bovina brasileira e a queda do preço da arroba de boi gordo nos últimos dias, os contratos de engorda de animais apresentaram rentabilidade atraente. Para quem investiu em agosto de 1999 e está resgatando sua aplicação agora, ou seja, depois de 18 meses, prazo mais comum nesse tipo de aplicação, o rendimento bruto fica em torno de 57,5%. Descontando-se a alíquota de 20% referente ao Imposto de Renda (IR) cobrado sobre a rentabilidade das aplicações de renda fixa, o ganho líquido fica próximo de 46%. Apesar de serem classificados como uma aplicação de renda fixa, já que todos os contratos devem estabelecer uma engorda mínima, esse investimento apresenta uma rentabilidade variável, pois o que será resgatado dependerá do preço da arroba no vencimento da aplicação. Para a empresa Arroba´s Fazendas Integradas de Engorda, a engorda mínima é 26% sobre o total de arrobas compradas pelo investidor. No caso dessa empresa, não há chance de ganho em arrobas acima desse patamar. O excedente dessa engorda, segundo o diretor de relação com o mercado da empresa, João Arnaldo Tucci, é direcionado para cobrir despesas com a manutenção do ativo, ou seja, do boi gordo. Veja mais informações sobre essa forma de aplicação no link abaixo. Veja como é feito o cálculo da rentabilidade Usando como exemplo um contrato com a Arroba´s com base de investimento em 100 arrobas e engorda mínima de 26%, o investidor chegará ao final do prazo da aplicação, que nesse caso é de 18 meses, com 126 arrobas. Levando-se em conta que no dia do investimento (15 de agosto de 1999), a arroba de boi gordo estava cotada em R$ 31,47, o valor inicial da aplicação foi de R$ 3.147,00. Na data do vencimento do contrato, ou seja, em 15 de fevereiro desse ano, com base no total de arrobas apurado pelo investidor - 126 arrobas -, o valor bruto será de R$ 4.989,60. Sobre o ganho de R$ 1.842,60, incide a alíquota de 20% referente ao IR. Com isso, o valor do resgate será de R$ 4.621,08, apresentando um ganho líquido de R$ 1.474,08, o que significa uma rentabilidade líquida de 46,84% em relação ao valor investido. Riscos Os contratos de engorda de animais têm riscos relacionados à perda do animal, ao preço do animal na venda e à má gestão da empresa. O primeiro é um risco inerente ao ativo, como doença ou morte dos animais. O segundo é com relação ao preço do animal na época da venda. Se o preço estiver muito depreciado, naturalmente o retorno do investimento será prejudicado. Por último, é preciso lembrar que este é um segmento difícil de fiscalizar, o que pode gerar fraudes na gestão do negócio, prejudicando o rendimento da aplicação. Veja mais informações no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.