Contratos na Bolívia aumentam oferta de gás, diz Petrobras

Condições acertadas entre a estatal e o governo boliviano garantem investimentos na produção no país

Wellington Bahnemann, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2007 | 12h16

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse nesta terça-feira, 18, que as condições contratuais acertadas na segunda entre a empresa e o governo boliviano garantem uma estabilidade no aumento da oferta de gás natural dentro da Bolívia. "Conseqüentemente, garantem também uma estabilidade na venda de gás boliviano para o Brasil", afirmou o executivo durante cerimônia de assinatura dos novos contratos de suprimento de gás com a Comgás.   Atualmente, o contrato da Petrobras com a Bolívia prevê a importação de até 30 milhões de metros cúbicos por dia de gás até 2009. O acordo firmado na segunda estabelece que a estatal investirá na expansão dos campos de San Alberto e San Antonio, além de iniciar o desenvolvimento no campo de Ingre.   O acordo também prevê a constituição de uma empresa mista com a YPFB para explorar outros três blocos pertencentes à Bolívia. "Ampliaremos a oferta de gás e venderemos para a YPFB, que repassará esse gás para os mercados interno e externo", explicou.   O executivo preferiu não tecer comentários sobre a possibilidade de a Petrobras comprar a totalidade da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, na qual a estatal possui 50% de participação.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasGás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.