Contribuição para previdência complementar cresce 24%

O mercado de previdência complementar registra uma consistente recuperação em 2006. A afirmação foi feita nesta quarta-feira pela Associação Nacional de Previdência Privada (Anapp), indicando que o volume de novas contribuições até maio é 24,36% superior ao do mesmo período de 2005, registrando R$ 8,2 bilhões. Entre janeiro e maio de 2005, o volume de depósitos no sistema somou R$ 6,6 bilhões.Esse desempenho foi creditado sobretudo ao Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), que teve alta de 52,33% na captação, atingindo R$ 5,2 bilhões no período. Com isso, o produto já representa 63% do volume de novos depósitos que ingressaram no sistema no período.O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) teve captação de R$ 1,8 bilhão, com alta de 11,48% na comparação com o período de janeiro a maio do ano anterior. Com isso, o produto equivale a 22% do total de contribuições.Por sua vez, os planos tradicionais chegaram a captar R$ 1,2 bilhão, com queda de 21,63% na comparação com 2005, quando captaram R$ 1,5 bilhão. A participação dos planos tradicionais no volume de novas contribuições equivale a 15% do total.Considerando apenas maio, o volume de novas captações teve crescimento de 29,67% na comparação com maio de 2005, chegando a R$ 1,7 bilhão. Em maio de 2005, a captação foi de 1,3 bilhão. Mais uma vez, o crescimento do mercado foi sustentado pelo desempenho do VGBL que teve um crescimento de 61,44% entre um ano e outro, passando de R$ 699,8 milhões para R$ 1,1 bilhão.SeguradorasEm relação às seguradoras, a Bradesco Vida e Previdência lidera o ranking de captação, com 38% dos volumes de contribuição, seguida pela Itaú Vida e Previdência (17%), Brasilprev (11%), Unibanco (8%), Caixa Vida e Previdência (8%), HSBC (4%), Santander (3%), Real (3%), Icatu Hartford (2%) e Capemi (1%). As demais seguradoras somam 5% do total de novas contribuições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.