Convênio dá incentivo para São Paulo exportar

O governo paulista assinou hoje um convênio com o Ministério do Desenvolvimento com o objetivo de ampliar e diversificar as exportações estaduais. A Agência Nacional de Promoção Comercial do Brasil (Apex-Brasil) fará um investimento inicial de R$ 5 milhões voltado para sete segmentos - calçados, cerâmica, software, móveis, confecções, equipamentos médico-hospitalares, podendo incluir o de artesanato.O investimento de R$ 5 milhões é pequeno se for comparado aos recursos do BNDES, disse o governador Geraldo Alckmin. "O grande agente financeiro é o BNDES, que deve ter um volume perto de US$ 10 bilhões para apoiar o setor produtivo", afirmou.O governador disse que dará atenção especial para China, Rússia, Argentina e América do Sul. "Esse é o chamado mercado natural e sempre tem prioridade", disse. "Precisamos ter um esforço maior na América do Sul, nós só participamos dele com menos de 10%, podemos crescer muito."Alckmin disse que o governo conseguiu chegar ao déficit zero na balança comercial do Estado. "Sempre tivemos um déficit muito grande, sempre importamos mais do que exportamos e, agora, nesse primeiro quadrimestre importamos e exportamos o mesmo valor: US$ 6,5 bilhões", disse. O presidente da Apex-Brasil, Juan Manuel Quirós, disse que o governo federal pretende fechar novas parcerias com outros estados, nas mesmas bases mas com valores diferentes de recursos. Já estão em andamento acordos para convênios com Paraná, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais. "Cada estado tem seus projetos e suas características, os recursos serão os adequados a cada projeto", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.