Cooperativas de crédito terão mais espaço para atuação

O Conselho Monetário Nacional decidiu hoje ampliar o leque para a formação de cooperativas de crédito no País. Segundo o diretor de Normas do Banco Central, Sérgio Darcy, os empresários associados a entidades de classe, mesmo que não sejam micro ou pequenos empresários, poderão constituir cooperativas de crédito. Até antes da decisão de hoje do CNM, a legislação autorizava a formação desse tipo de cooperativa apenas para os micro e pequenos empresários, que tinham que respeitar um valor máximo de receita bruta, fixado pela lei 9.941, de 1999 (Darcy não soube informar qual era esse valor). A partir de agora, as cooperativas poderão ser formadas por empresários que controlem empresas com porte superior às micro e pequenas, fugindo assim da limitação de receita bruta fixada pela lei de 1999. A decisão do CMN deve atender, segundo Darcy, empresas filiadas a Ciesps, que são entidades de São Paulo filiadas à Federação das Indústrias do Estado (Fiesp).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.