Cooperativas retiram ação contra MP 232

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) pediu nesta segunda-feira à Justiça Federal, em Brasília, o arquivamento do pedido de mandato de segurança contra a Receita Federal, depois de o governo ter cedido às pressões de políticos, empresários e agricultores, e ter adiado por 30 dias a vigência do artigo 6º da Medida Provisória 232, que trata de novas regras tributárias. O pedido havia sido protocolado na quinta-feira passada.De acordo com o advogado da OCB, Guilherme Krueger, as cooperativas pediram o arquivamento pois a expectativa é negociar a tributação prevista no artigo com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid. Ele informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda não foram agendadas reuniões com a área econômica do governo.O texto da MP prevê retenção de 1,5% de Imposto de Renda sobre algumas operações de vendas de produtos e insumos agrícolas. Inicialmente, a vigência estava prevista para 1º de fevereiro, mas o governo adiou o prazo para 1º de março, como prevê a Medida Provisória 237, publicada em edição extraordinária do "Diário Oficial da União" no sábado. Empresas aéreas de transporte, clínicas médicas, de engenharia e de publicidade e propaganda também foram beneficiadas pelo adiamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.